11 de julho de 2020// 11:00 - Meninos de todas as cores, de Luísa Ducla Soares, com ilustrações de Cristina Malaquias, das edições Nova Gaia.

Atividade de promoção do livro e da leitura. 

 

No 2º sábado de cada mês, dentro ou fora de portas, “espalhamos a notícia, do mistério da delícia da leitura” e fazemos consigo, do lugar onde estiver, uma casa das palavras. Projeto de abordagem intergeracional de promoção da leitura, da iniciação à formação de mediadores. Para crianças, pais, avós, outros familiares, bem como os vizinhos e amigos da leitura. Através de ateliês multidisciplinares onde a palavra é o ponto de partida ou de chegada, os participantes exploram as diferentes linguagens artísticas e de comunicação.

Dos 3 aos 10 anos
Destinado a crianças e famílias


Meninos de todas as cores

Esta coletânea de contos vive da variedade. Inclui histórias de índole tradicional, outras dos tempos modernos mas, entre todas, sobressai a que lhe dá o título: Meninos de todas as cores, que a OIKOS e a UNICEF adotaram como base de uma campanha conjunta contra o racismo e a segregação. Foi ponto de partida para uma maleta pedagógica, diversas exposições e tem percorrido o país em teatro de marionetas. Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para a Educação Pré-Escolar.


 
Luísa Ducla Soares
Nasceu em Lisboa a 20 de julho de 1939. É licenciada em Filologia Germânica pela Universidade Clássica de Lisboa.
Iniciou a sua atividade profissional como tradutora, consultora literária e jornalista, tendo sido diretora da revista de divulgação cultural Vida (1971-2).
Colaboradora de diversos jornais e revistas, estreou-se com um livro de poemas, Contrato, em 1970.
Foi Adjunta do Gabinete do Ministro da Educação (1976-8). Trabalhou de 1979 a 2009 na Biblioteca Nacional onde iniciou a sua atividade realizando uma bibliografia da literatura para crianças em Portugal.
Dedicada especialmente à literatura para crianças e jovens, em prosa bem como em poesia, publicou mais de uma centena de obras neste domínio.
Muitos dos seus poemas foram musicados, tendo sido editados em diversos CDs. Escreveu guiões televisivos sobre língua portuguesa para os mais jovens. É sócia fundadora do Instituto de Apoio à Criança.
Realizou todos os sites de Internet da Presidência da República para crianças e jovens no mandato do Presidente Jorge Sampaio. Tem elaborado para o Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e para o Ministério da Educação diversas publicações seletivas da literatura infantil nacional e internacional.
Junto de escolas e bibliotecas, desenvolve regularmente ações de incentivo à leitura. Participa frequentemente em colóquios e encontros, apresentando conferências e comunicações sobre problemática relacionada com os jovens e a leitura e sobre literatura para os mais novos. Recusou, por motivos políticos, o Grande Prémio de Literatura Infantil com que o SNI pretendeu distinguir o seu livro História da Papoila em 1973. Recebeu o Prémio Calouste Gulbenkian para o melhor livro do biénio 1984-5 por 6 Histórias de Encantar e foi galardoada com o Grande Prémio Calouste Gulbenkian pelo conjunto da sua obra em 1996. Foi candidata de Portugal ao Prémio Andersen.
Em 2004 foi escolhida pela Secção Portuguesa do IBBY (International Board on Books for Young People) como candidata ao Prémio Hans Christian Andersen.
Em 2009 a Sociedade Portuguesa de Autores distinguiu-a com a sua Medalha de Honra.
Em 2010 foi proposta pela DGLB como candidata de Portugal ao Prémio Ibero-Americano SM de Literatura Infantil e Juvenil.


 
Cristina Malaquias
Nasceu em Queluz em 1955.
Formação Artística: AR.CO. 1975/76 - Ilustra o conto infantil "As duas bonecas" da autoria de António Sérgio, para a realização de um diaporama de Eduardo Sérgio. Participa com trabalhos de ilustração numa série infantil para a RTP.
Em 1977 inicia a atividade como ilustradora de livros infantis, juvenis e escolares. Cristina Malaquias ilustrou livros para António Torrado, Matilde Rosa Araújo, Maria Alberta Menéres, Luísa Ducla Soares, Garcia Barreto, Natércia Rocha, Luís de Brito, Leonor Santa-Rita, Maria do Rosário Dias, Isabel Lamas, Manuel Ferreira, Maria Conceição Galveia Ferreira, Cristina Bettencourt, Ramiro S. Osório, Maria de Lurdes Modesto, entre outros.
1979 - É editado o primeiro livro de sua autoria, Croá.
1981 - Presente na Bienal de Bratislava, com ilustrações do livro Croá
1985 - Representada na 1ª Exposição de Ilustradores de Autores Portugueses na Sociedade Nacional de Belas Artes, onde foram selecionadas ilustrações do livro O Sol de Marina Algarvia, Presentes na Bienal de Bratislava.
1986/89 - Integra o Gabinete de Projetos Gráficos da Texto Editora.
1987 - Selecionada para a Exposição de Ilustradores da Feira Internacional de Bolonha, com ilustrações do livro de sua autoria, Ovelha negra.
1988 - São editados os livros de sua autoria Ovelha negra e Conto com fada. Presente com trabalhos e participação em debate na VI Bienal Internacional de Vila Nova de Cerveira.
1991 - Funda Atelier com Carlos Alberto Alves. No âmbito da atividade do Atelier, para além da ilustração para livros infantis e juvenis, produz ainda trabalhos para publicidade. Ilustra dois textos de William Shakespeare, para a Contexto Editores.
1991 - É convidada pela UNICEF INTERNACIONAL, a integrar a coleção de cartões de Natal, com uma das ilustrações do livro Ovelha Negra.
1997 - Realiza na Galeria de Desenho de Estremoz, a sua 1ª Exposição Individual.
1998/2003- Continua o trabalho em ilustração de livro infantil, juvenil e escolar. Faz toda a ilustração para as histórias de António Torrado no site da internet www.historiadodia.pt.
2005 - Ilustra livro para a editora ASA, de autoria de António Torrado. Ao longo da sua carreira já ilustrou algumas centenas de histórias para os mais diversos autores e editoras.


Neste sítio são utilizados cookies de forma a melhorar o desenpenho e a experiência do utilizador. Ao navegar no nosso sítio estará a concordar com a sua utilização. Para saber mais sobre cookies, consulte a nossa politica de privacidade.