Entre nós e as palavras com o escritor Joel Neto

Apresentação do Livro A Vida no Campo

 

A vida no campo
E se a vida pudesse ser mais autêntica?
Consegue imaginar uma vida mais serena, mais barata, mais livre? E, se calhar, mais inteligente?
A vida no campo traz-nos gentes, saberes e sabores ancestrais. Traz-nos a amizade, o amor e a perda também. Traz-nos cães – traz-nos vários cães, como nos traz outros animais. Traz-nos hortas domésticas e flores. Piqueniques, caminhadas a perder de vista e barcos navegando no horizonte. Crepúsculos românticos e dias de frio à lareira.


Joel Neto (Angra do Heroísmo, 1974)
Autor de Arquipélago, O citroën que escrevia novelas mexicanas e A vida no campo, publica no Diário de Notícias a coluna homónima (A vida no campo), relatos sobre o seu regresso à Terra Chã, na ilha Terceira.
Os seus romances O terceiro servo, Os sítios sem resposta e Arquipélago integram o Plano Regional de Leitura dos Açores. O primeiro é também estudado na Universidade Católica do Rio Grande do Sul, no Brasil, e o terceiro no Department of Portuguese and Brazilian Studies da Brown University, nos Estados Unidos. O Citroën que escrevia novelas mexicanas é leitura obrigatória na Universidade dos Açores. A biografia José Mourinho, o vencedor, foi traduzido em Inglaterra e na Polónia.
Arquipélago, aplaudido pela crítica e pelo público, esgotou a primeira edição em duas semanas, em menos de três meses estava na quarta e foi finalista do Prémio Fernando Namora 2015. A vida no Campo reuniu os elogios de muitos dos principais críticos portugueses.
Além dos livros e dos contos dispersos, que o representam em antologias em Portugal, Espanha, Itália ou Brasil, Joel Neto mantém, enquanto cronista, colaboração ativa com diferentes jornais portugueses e da diáspora, nos Estados Unidos e no Canadá.
Estudou relações internacionais e começou a escrever para os jornais aos 15 anos, no açoriano Diário Insular. Trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, chefe de redação, comentador, autor de conteúdos e apresentador, nomeadamente no Diário de Notícias, Grande Reportagem, Volta ao Mundo, NS', Focus, Jornal de Notícias, O Jogo, TSF, Sport TV e RTP Açores. Ganhou os prémios José Roquette, Gazeta de Reportagem e Jornal da Praia.
Vive entre o lugar dos Dois Caminhos, na freguesia da Terra Chã (Angra do Heroísmo), onde nasceu, e a cidade de Lisboa. Foi o autor do "Manifesto Pela Poesia" com que, em 2017, a Fundação Inatel assinalou o Dia Mundial da Poesia, centrado nos Açores e na obra de Natália Correia.

 

Público em Geral

Data
2017-05-25 21:30
Local
Biblioteca Municipal António Botto - Antigo Convento de São Domingos ou Biblioteca Municipal António Botto
Abrantes, Portugal
 
 

Powered by iCagenda

Neste sítio são utilizados cookies de forma a melhorar o desenpenho e a experiência do utilizador. Ao navegar no nosso sítio estará a concordar com a sua utilização. Para saber mais sobre cookies, consulte a nossa politica de privacidade.